Cuidados Coletivos – Uma solução

Se você é uma mãe empreendedora que acabou de começar a sua jornada empreendedora, sildenafil tem filhos que ainda não frequentam a escola ou frequentam apenas por meio período, viagra buy possivelmente a sua rotina anda estressante ou menos produtiva do que gostaria. Possivelmente você também se sente sozinha e sem apoio, pois os familiares estão cada vez mais distantes e envolvidos em suas rotinas de trabalho, e os espaços coletivos na sociedade não são nada convidativos para receber crianças, é dificil fazer um curso, ir em alguma palestra, ou mesmo ir no supermercado pode ser desafiante. Ou possivelmente você apenas está à procura de uma educação mais integradora com os valores de sua família.

Seria perfeito se toda a família assumisse os diversos papéis necessários na criação dos filhos e para o sucesso dos pequenos negócios, mas a realidade não tem sido assim, no caso das mães que empreendem, os familiares mais próximos procuram ser o apoio financeiro da casa em empregos fixos e de período integral.

Muitos grupos de mães estão se unindo para tentar criar rotinas saudáveis para seus filhos e seus negócios, principalmente porque cada vez mais mães estão despertando para a vida em comunidade e saindo do isolamento social em que vivem. A educação tradicional não é mais referência para o desenvolvimento de nossos filhos e nem todas as mães conseguem pagar por uma creche mais próxima de seus valores educacionais, pelo menos pra mim tudo estava assim, um caos.

É um desafio e tanto lidar com os padrões da sociedade, com os nossos conceitos e valores e com o desenvolvimento de nossos filhos. Por isso, se unir a um grupo de mães e filhos que possuem as mesmas necessidades pode ser uma solução transformadora e que funciona muito bem nesse momento de transição de nossa sociedade. Mesmo que você só encontre uma mãe com afinidade para experimentar uma nova rotina diária e de cuidados compartilhados, garanto que juntas conseguirão se sentir mais leves, seguras e produtivas, como foi o meu caso e da minha sócia na Pura Chuva, Janaina Ferreira.

A Janaina é pedagoga e tem o sonho de estruturar um espaço integrador para a família vivenciar a maternidade na íntegra e o empreendedorismo, seu sonho começou a se formar depois que nós começamos a cuidar do filho uma da outra em períodos alternados. Aos poucos nós estamos melhorando e aumentando nossa estrutura para poder acolher outras mães com as mesmas necessidades.

Esses espaços e rotinas de cuidados compartilhados são conhecidos como espaços de Cuidados Colaborativos ou Coletivos, Casinha (conhecido assim carinhosamente), Creches Parentais (após iniciativa na França) e Casa-Escola.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Fonte da imagem: http://pinheirolopesfernanda.blogspot.com.br//

Por onde começar? Nós nos estruturamos da seguinte forma:

– Formamos um grupo de mães, amigas ou interessadas em ajudar a cuidar e precisando de ajuda com seus filhos, mas você pode formar esse grupo com apenas você e mais uma mãe.
– Doamos nosso coração como mãe, irmã, amiga, mulher, cuidadora, criança, e nos experimentamos em cada papel de transformadora social: como hoje posso ajudar mais e criticar menos outras mães, como posso ser mais tolerante e menos agressiva com as crianças, como posso me deixar brincar mais e trabalhar com mais foco, qual é o meu nível de responsabilidade com os filhos dos outros e em qual nível eu gostaria de estar.
– Definimos um espaço adequado à quantidade de crianças e às demandas do trabalho, e reinventamos, moldamos esse espaço sempre que é necessário.
– Analisamos o perfil e talento de cada um no grupo, e as necessidades e limitações que podem ser ajustadas conforme o desenvolvimento da rotina.
– Analisamos a condição financeira de cada um no grupo para desenvolver o espaço e adapta-lo às necessidades que possam surgir (devido à nossa estrutura financeira nós não contratamos nenhum cuidador, nós assumimos esse papel em todos os períodos que sejam necessários ao número de mães com seus filhos).
– Estudamos muito sobre níveis de desenvolvimento infantil, brincadeiras lúdicas, educação em comunidade, educação montessoriana, comunicação não violenta, colaboração em rede e outros assuntos que comecem a desenvolver o coração deste espaço que está sendo criado.
– Cocriamos com o grupo valores, regras, atividades, refeições do dia, organização, limpeza, papéis e responsabilidades, reuniões semanais e estudos, e cronograma de trabalho.
– Começamos o desafio da melhor forma possível e aos poucos vamos nos adaptando as necessidades que esse espaço exige.

O que pode não funcionar?

– É importante que as crianças estejam em faixas etárias mais próximas, pois é muito mais dificil cuidar de bebês e de crianças que já correm ao mesmo tempo, são necessidades e estruturas muito diferentes.

– É fundamental que os pais continuem mantendo as rotinas desses espaços fora do horário de permanência lá, durante a noite e em suas casas, pois as crianças se ajustam conforme o espaço e as regras, mas é dificil pra elas entenderem que durante o dia as regras são diferentes das regras da noite ou em outros espaços. É o caso das refeições na mesa, ou do tempo de televisão.

– Pode acontecer que alguma mãe não goste ou apenas não tenha paciência para cuidar de mais filhos do que dos próprios, isso não quer dizer que o espaço ainda não possa existir, mas neste caso mais mães precisam participar para não sobrecarregar ninguém.

– Percebi a importância de trabalhar em um ambiente um pouco afastados dos olhares das crianças, mesmo que elas saibam que você está próxima, pois elas estão acostumadas a procurar a mãe a cada nova descoberta, ou birra, ou choro, e isso deixa tudo mais dificil no sentido produtividade.

– Flexibilidade é fundamental, neste processo em que estamos o tempo todo exercitando nossa mente e corpo as vezes precisamos descansar, voltar para nossa rotina normal em casa 1 vez por semana pode ser gostoso para mãe e filhos, pensamos assim porque normalmente nosso fim de semana é bem corrido, mesmo que seja entre idas e vindas na casa dos familiares ou nas atividades domésticas. Pode acontecer de alguma mãe ou filho ficarem doentes, com febres e coisas que acontecem às vezes, faz parte do processo de convivência e temos que estar preparados para mudar os planos de repente.

Links que recomendamos:

Assuntos Relacionados

One Comment

  1. Nossa experiência em cuidados coletivos de crianças - Unidas por algo maior!
    1 de agosto de 2014 at 14:58 - Reply

    […] guerreiras, depois de explicar bem o que é e como funcionam os espaços de Cuidados Coletivos de crianças, eu quero contar a vocês um pouco da minha experiência e como tudo isso tem mudado a minha vida, […]

Leave A Comment